A inteligência Emocional no mundo Corporativo

A inteligência emocional nada mais é que habilidade de sentir, entender e aplicar eficazmente o poder e a percepção proporcionados pelas emoções para incrementar os níveis de colaboração e produtividade. Percebemos que atualmente as qualidades emocionais estão sendo cada vez mais exigidas. Mais exigidos que o QI (quociente de inteligência), atualmente é o QE (quociente emocional), que está sendo o pré-requisito cada vez mais solicitado dentro das grandes e médias corporações. Os maiores especialistas em análises comportamentais já alertaram que o mais importante nos dias de hoje não é o quanto se sabe, mas como usamos todas informações que temos para gerar resultados positivos para empresa, clientes e colaboradores.

 

Estamos sendo sufocados por uma quantidade imensurável de informações.

Mas, o que fazer com todas elas?

Como organizar todas essas informações para gerar resultados práticos em nossas vidas e dentro de nossas empresas?

Quantas pessoas você conhece que são verdadeiros gênios, mas que vivem na pobreza?

Ou quantos jogadores de futebol com talento incrível deixam de ser grandes estrelas, por não conseguirem lidar com as emoções que a fama desperta e acabam chutando as mesmas câmeras que deveriam mostrar sua magia para o mundo.

 

A Era da informação já passou há muito tempo e poucos se deram conta disso. Até poucos anos atrás quem tinha a informação tinha um grande valor no mercado, ou seja, quem possuía uma faculdade, mestrado, especialização ou falava mais de um idioma por exemplo, tinha valor e um lugar garantido nas melhores empresas do mundo. Hoje já não basta ter apenas diplomas e conhecimentos, os profissionais com esses quesitos são encontrados aos montes no mercado.

 

Nessa nova ERA DA EMOÇÃO, os profissionais mais requisitados são aqueles capazes de usar o máximo todo o conhecimento que possuem, se RELACIONANDO muito bem com todos na empresa e clientes, e acima de tudo, os que conseguem usar cada uma de suas EMOÇÕES para gerar lucro para Empresa, encantando seus clientes, e ainda motivam todos ao seu lado e apenas fazendo a diferença através de detalhes!

 

Quantos profissionais irritados, melancólicos, que só reclamam da vida estão sendo dispensados de muitas empresas?

Por que isso está ocorrendo no mundo inteiro?

Você compraria algo de alguém que lhe abordasse de uma forma grosseira, ou que estivesse irritado?

Ou fecharia um grande contrato com um profissional que vive falando mal da própria empresa e de seus colegas?

É uma tendência humana. O agradável é o consumível. O desagradável indigesto e amarga qualquer relação. Uma “fruta podre no cesto” é capaz de estragar todas as outras que ainda estão boas.

 

As empresas que sabem que o seu principal patrimônio são as pessoas, já perceberam que seus profissionais são seres humanos, com interferências emocionais, tanto positivas quanto negativas ,de seus clientes, colegas e superiores e que, portanto, precisam descobrir maneiras de analisar todas as emoções negativas para que sejam usadas para agregar valor aos conhecimentos de seu colaboradores, ou seja para que ajam e faça acontecer nos momentos de maior estresse.

Leonardo Steil

Deixe uma resposta

  • Eu não consigo!

    Many businesses, large and small, have a huge source of great ideas that can help them improve, innovate, and grow, and yet so many of these companies never think of using this amazing corporate asset. What is this highly valuable asset? Its own people.

    22 de janeiro de 2019
  • Empregos em risco

    Growth through innovation/creativity. Rather than be constrained by ideas for new products, services and new markets coming from just a few people, a Thinking Corporation can tap into the employees.

    22 de janeiro de 2016
  • O coaching pode alavancar sua carreira

    The effort vastly improved the company’s planning and execution functions, created and implemented a new stock policy that accounted for specific SKUs and key variables, streamlined the order preparation process and reduced distribution transport times.

    22 de janeiro de 2016

Looking for a First-Class Business Plan Consultant?